Sobrevivemos para (não) contar a história

By domingo, julho 26, 2015



O medo é psicológico. É o mote. E lembrarmo-nos disso num quarto escuro à noite? Um dos nossos maiores medos de infância é aqui lançado ao palco, num espectáculo onde somos os actores principais. Nós e o nosso medo, algures no meio de uma casa em Belas. 






O palacete foi mandado construir em 1860 pelo comerciante João Maria da Silva Rego. Nesta quinta viveu Maria da Assunção Vieira, casada com José Maria. Fechada há anos e já depois de ter sido adquirida pela Câmara Municipal de Sintra, “corre de boca em boca” que está assombrada. Certo é que a fama já ninguém lhe tira, nem a carga emocional forte e psicológica que o mentor do projeto diz existir. Os grupos são acompanhados por um gravação em áudio, através do qual ouvem contar a história da quinta, e terão de recolher pistas no interior das 25 assoalhadas para conseguirem encontrar a saída. 



Eu gostei bastante, sobretudo porque nos põe à prova e expõe as nossas fragilidades e forças. Fui com a Helena, a Marta, o meu irmão e um amigo dele e ficamos todos em grupos separados. Quer dizer, a Helena e a Marta agarraram-se ao amigo do meu irmão. Já eu, fui noutro grupo com um homem com mais medo que eu, que quase me esmagava de tanto me apertar. Os gritos estão garantidos, mas não posso dizer mais nada. O “segredo” tem de ser mantido para não estragarmos a experiência de quem ainda não foi. Tendo sido muito interessante, a única coisa que melhorava era a decoração da casa, para ficar ainda mais “creepy” e aumentava um bocadinho a intensidade numa ou noutra divisão. De resto, é algo que fazia já outra vez e que recomendo, mesmo a quem é medroso, porque vão divertir-se seguramente. Eu dizia-vos para irem já este fim-de-semana mas acho que os bilhetes estão esgotados até setembro por isso… é melhor apressarem-se a reservar!


Mais informações:

As visitas do público à quinta decorrem às sextas-feiras e sábados, entre as 21h30 e as 24h00. A entrada não é permitida a menores de 16, nem aconselhável a grávidas ou a pessoas com problemas cardíacos. O valor das entradas é de 10 euros por visitante, mediante marcação prévia. A visita tem uma duração média de 50 minutos. É aconselhável roupa e calçado confortável. É expressamente proibido entrar na propriedade com qualquer tipo de aparelho electrónico, seja de comunicação, captação de imagem ou som ou ainda qualquer outro tipo de objecto gerador de luz, (ex. lanternas, isqueiros, lasers ou outros.) Existe um sistema de vigilância e segurança interna sempre ativo. Uma vez iniciada a visita, é impossível haver desistências, à semelhança de uma montanha russa ou de um voo de avião. As visitas são feitas única e exclusivamente por marcação, com horários pré-definidos que têm de ser escrupulosamente cumpridos. As portas abrem-se 6 vezes por noite de 30 em 30 minutos, com um limite máximo de nove pessoas por entrada.

Contactos:

Largo da Igreja de Belas, 2605 014 BELAS
210 168 382





You Might Also Like

2 comentários

  1. Bom dia!!
    Bem... que espetáculo!!!
    Apetecia-me experimentar, apesar do medo.
    Boa ideia.
    Beijocas

    ResponderEliminar

Welcome to our website !