Mulheres às avessas!

By sábado, agosto 02, 2014 , , ,

Lígia Guerra é psicóloga brasileira. Um dia, percebeu que no consultório chegava a menos pessoas do que pretendia. As filas de espera e as palestras com muitas perguntas fizeram-na perceber que havia pouco tempo para "atender" a tanta procura. Mais ou menos nessa altura, começou a escrever uma coluna no blogue de um jornal sobre mulheres. E depois, foi um passo natural até escrever um livro sobre isso: dilemas e aflições no feminino mas que devem (e podem!) ser lidos por homens.Lançado em Portugal pela editora SELF, "Mulheres às avessas" é um guia para mulheres que pretende que nos emendemos menos e que gostemos mais de nós.  Este livro ensina-nos a perdoarmo-nos mais, a gostarmos mais de quem somos e a compararmo-nos menos. Vale a pena ler, deixarmo-nos inspirar e, sobretudo, gostarmos de ser mulheres (com ou sem avessas pelo meio!). Em baixo deixo-vos a entrevista que fiz a esta mulher inspiradora e, aproveito a deixa para vos oferecer um livro.

Para participar no passatempo é  muito simples:

Basta que sejam seguidoras da página de facebook da Pegada Feminina e da Editora Self. Depois é só preencherem o questionário. O sorteio será realizado dia 22 de Agosto. Boa sorte a todas!



 

Revê-se nas dificuldades que estão neste livro? Foram dificuldades que a Lígia foi encontrando ao longo da sua vida?

Sem dúvida. Eu não consigo imaginar um autor a escrever sem se sentir a escrever. Por mais que, claro, muitas das experiências não sejam minhas, foram vividas comigo.  Eu tenho as minhas experiências pessoais, as angústias que eu mesma superei mas há algumas angústias que se compartilham. Nem sempre aquilo que vive de triste ou alegre é só seu. Às vezes uma situação com a sua melhor amiga ou totalmente inesperada... O ato de escrever é um ato de estar com os olhos abertos para a vida e com o coração atento também.. Não ver só com os olhos, mas com os olhos da alma.

Em relação às portuguesas, sente que nós somos mais pessimistas? Tem alguma noção em relação à mulher portuguesa em termos comportamentais?

O que eu sinto, pelo menos porque tenho muitos seguidores que moram em Portugal e que interagem comigo em rede social porque eu só cheguei hoje aqui pela primeira vez, é que não existe pessimismo; o que existe é um grau de profundidade maior sobre as questões. Vocês são um país infinitamente mais antigo do que o nosso, mais politizado, um público que lê mais e não tão jovem  como o do Brasil. Como tal, as pessoas mais amadurecidas têm um olhar mais profundo,  mais enraizado. É como um filósofo - passa muitas vezes por pessimista. Mas muitas vezes ele simplesmente pensa mais! Parte-se de uma ideia de pessimismo equivocada.

“Pior do que não ter tempo para si é usá-lo de forma auto-destrutiva”. Pode comentar esta frase que tirei do seu livro?

A mulher muitas vezes não tem tempo para si. Mas se ela resolve fazer uma massagem, relaxar por um momento, em vez de aproveitar fica a pensar em tudo o que não fez, na sua check-list do dia. “A minha amiga conseguiu fazer isso e eu não consigo”. As mulheres comparam-se muito. Então, ao invés de estar a fazer um trabalho construtivo para o seu psiquismo, está depreciando e deprimindo. E se isso estiver associado ao período de TPM então imagine, se torna auto-destrutivo! Eu vejo como uma pintura. Muitas vezes, o pintor visualiza a sua obra de arte de uma forma, começa com uma ideia... No meio do percurso, de alguma forma há uma linha que sai do sítio e que não fica como ele queria; um traço da pintura que pode resultar numa coisa na qual ele não tinha pensado. Ou seja, devemos aproveitar e entender que, às vezes, um nariz no rosto não fica tão bonito quanto no outro.

As mulheres acabam por criticar muito as suas pequenas falhas?

A música pode ser feita sem pausa? Mas as pausas incomodam-nos. Mas se pegar na "pausa" para se ficar a desculpar e a sucumbir não vale de nada. Ria-se disso!

Como tem sido a reacção dos leitores ao livro?

Tem sido maravilhoso. Para ser sincera nem esperava. Esperamos sempre uma critica construtiva, uma positiva, mas tenho tido um feedback muito bom e agora os homens falam se vai haver um Homem às Avessas (risos)

Era a minha pergunta …

Não diria às avessas, mas em breve vão merecer um livro para eles. Não o próximo, porque ainda tenho muitas coisas para falar para as mulheres!

Mas os homens também têm muito interesse, também vêm ter consigo para lhe perguntar sobre este livro para perceber as mulheres?

Na verdade, 70% dos temas que são pedidos para eu falar na televisão são temas pedidos por homens, é curioso!

Pois, os homens têm uma necessidade enorme de perceber o bicho que é a mulher...

Mas eles têm muita necessidade de se entender, eles usam muitas vezes a mulher como um artifício para se entenderem. Às vezes, eles marcam as palestras para falar de relacionamento. Quando eu vou falar para um público de 500, 600 homens fechados numa sala, a mulher é o ponto de partida mas, de repente, tudo muda e vão analisando os temas deles, as questões deles… 

Qual foi o maior desafio para escrever este livro?

O maior desafio foi ter uma editora digna que não mexesse no meu livro e que acreditasse em mim. Tive uma experiência anterior com outro livro onde eles mexeram no livro todo e não ficou como eu queria. Então, acho que o maior desafio é a arte não ter interdição de alma, nem interdição de conceito, de vivência. Você deixar o coração pulsar, porque se corta a alma do livro, corta a ligação com o leitor.

O desafio foi então manter a fidelidade…

Manter o coração aqui dentro. Você tem de vender, sim, é um trabalho, sim, mas quando coloca o coração antes da venda, quando consegue deixar a alma ali dentro, esse é o grande desafio. 

O que é para si uma super mulher?

Ser uma super mulher é conseguir ser você mesma, é não seguir protocolos, é perdoar-se, é conseguir entender que o que funcionou hoje pode ser o degrau de amanhã… é pegar pedras e construir castelos!          

You Might Also Like

5 comentários

  1. A participar :) boa sorte a todos*

    https://plus.google.com/u/0/108367081057566782107/posts/U9hvTGMgUKx

    https://www.facebook.com/apoca.almeida/posts/729581150442667

    ResponderEliminar
  2. A particpar Otimo passatempo.
    Nanda Oliveira.

    ResponderEliminar
  3. A participar!
    Muito curiosa com o livro! :D

    ResponderEliminar

Welcome to our website !