Antes de nós

By segunda-feira, agosto 27, 2012 , , , ,



Fala-se muito do “nós”. Nós pensámos, nós queremos aquilo, nós vamos. Nós, nós, nós. E de facto, a dois e numa relação, o “nós” existe e tem uma importância vital. As coisas são pensadas a dois, ponderadas, meditadas e feitas com os olhos postos no outro. Mas e o “eu”? O “eu” que existe antes do “nós”? O “eu” que existe durante, e mesmo depois, do “nós”? Algumas pessoas perdem-se e anulam-se nas relações. Uns mais do que outros, uns mais lucidamente do que outros. Cedem, lutam, dão tudo e fazem por agradar ao máximo e, quando as coisas acabam, não ficam apenas sem o outro, mas sem o “eu” que entretanto se acomodou ao “nós”. É sempre triste o fim de uma relação porque ele envolve o acabar de algo construído a dois, cimentado por um sentimento. Mas eu existo antes de ti e tu existes antes de mim. Existimos juntos, mas continuamos a existir enquanto seres singulares e, se as coisas acabarem, voltaremos a existir novamente sozinhos. As pessoas agarram-se demasiados às certezas do outro nas suas vidas e pensam pouco nelas próprias. Claro que não devemos ser egoístas, e que as cedências são elemento constituinte de uma boa relação. Mas precisamos de orientar o nosso pensamento connosco mesmos. Partindo do eu. É isso que me revolta nas relações que vou vendo ao meu lado. Pessoas dependentes, mulheres que esperam pelo namorado para saberem se estão livres para um fim-de-semana com amigas. Existam antes de serem “nós”, até porque essa união deve ser algo que faz o “eu” feliz e que por ele existe. 

You Might Also Like

7 comentários

  1. sei bem o que queres dizer com este texto.
    neste momento ainda namoro, mas muitas vezes sinto que perdi o meu "eu", porque o meu namorado só pensa no "nós" !

    ResponderEliminar
  2. Adorei o texto.
    Tens toda a razão, é tão fácil perdermo-nos...

    ResponderEliminar
  3. Gostei imenso do que escreveste mas o facto é que nos acomodamos de tal maneira ao nos que é muito díficil imaginar o eu novamente,bjinhos

    ResponderEliminar
  4. Nunca devemos esquecer a pessoa individual que somos.

    ResponderEliminar
  5. Tão de acordo com este seu texto! Infelizmente há quem se anule totalmente numa relação, sem perceber que isso pode provocar o desinteresse do parceiro. É que normalmente, depois de se anularem, passam a ser exigentes, ciumentas e obsessivas. E não são só as mulheres, não... conheço também homens assim.

    ResponderEliminar

Welcome to our website !