Querida Professora Margarida e Mãe

By sexta-feira, março 16, 2012


Por vezes ainda oiço a tua voz doce, antes de adormecer. Fecho os olhos e sinto a tua respiração, o teu perfume, a embalar e a aconchegar-me nos lençóis, que eu depois desmanchava nos minutos seguintes. Tudo começava como nas histórias dos livros: Era uma vez. Talvez por isso, ainda conte assim as minhas histórias, atribuindo-lhe feitos inimagináveis, acrescendo sal, açúcar e muita pimenta aos episódios irrelevantes da minha vida. Era uma vez uma princesa, dizias-me na tua voz suave, que nunca perdeste. Voz de mãe, mas que nem todas têm. Invejava os teus alunos que te ouviam todos os dias, horas e horas, mas nunca te disse. Acreditava nas histórias, nos contos de fadas e tu não deixavas que nenhum monstro as invadisse. Hoje, nesse palco, onde os teus alunos se encontram, numa peça cheia de histórias que tu criaste, tenho pena de não te poder dar um abraço e dizer que és a responsável por gostar tanto de ler, de escrever mas, essencialmente, de sonhar.

Enquanto agarrava o meu urso Mofli e não queria largar a tua mão macia, deliciavas-te a encher o meu mundo de fadas e princesas. Misturavas a Fada Oriana, o Principezinho e a Menina do Mar. E um dia, quando li esses livros, li-os com a tua voz. E hoje, aqui longe de ti, sei que os teus alunos do Colégio de São José estão a misturar essas personagens todas no palco e consigo imaginar os nervos em que te deves encontrar, pequenina Mãe. As tuas sardas e os teus olhos vivos hoje devem estar afogueados, mas tenho a certeza que vais dormir feliz, concretizada e eu feliz por ti. Só tenho pena de não estar aí do teu lado para te poder dar um beijinho na testa enquanto sussurro: “Era uma vez, a melhor mãe do mundo. Bem, ela não é uma mãe qualquer. É daquelas especiais e inspiradoras, mas eu nunca lho disse”.

You Might Also Like

18 comentários

  1. Querida Mia, parabéns por este texto fantástico, sobre a tua ternura, pela tua doce mãe. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada querida Turista ;) um beijinho

      Eliminar
  2. Olá,
    pois é...que bonito e doce texto cheio de Amor pela tua mãe.
    Penso que ás vezes nunca dizemos o quanto gostamos delas mas...é sempre hora para lhe dizer.
    Mesmo estando longe ou ao pé.

    Bjs linda fica bem

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens toda a razão querida, nunca é demais nem tarde! beijinhos

      Eliminar
  3. Lindas palavras Mia, fiquei derretida :) *

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh obrigada querida Catarina ;) beijinhos

      Eliminar
  4. não há palavras para descreveres o que escreveste ! muito amor e orgulho (:

    ResponderEliminar
  5. Que ternura ... que bom que agora lhe disseste! As declarações de amor deviam fazer parte do dia-a-dia. Podem ser pequenos gestos, um sorriso, estar disponível, olhar nos olhos, agradecer, partilhar ou simplesmente estar. Beijinhos para ti e para a tua (doce) mãe :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tenhas dúvidas! Deixamos sempre tanto por dizer... Gostei muito do que escreveste, obrigada pela partilha! beijinhos

      Eliminar
  6. Não conheço a tua história, mas o que senti ao ler este texto foi um arrepio de serenidade, misturada com doçura, ternura e muito carinho. Não consigo comentar... As lágrimas teimam em correr-me pela face abaixo. Muito bonito! Parabéns à tua mãe por ter uma filha que a ama tanto como tu!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh, não queria de todo provocar-te isso! Mas espero que sejam boas lágrimas! Nada de tristezas.. um beijinho grande :)

      Eliminar
  7. oh, parei e fiquei aqui, apenas, a ler-te. tão bonito, tão tanto.
    diz-lhe. é sempre tempo, sempre. com ou sem palavras.

    um abraço :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Menina dos abraços! tens toda a razão e ela leu o texto ;) acho que gostou! um beijinho

      Eliminar

Welcome to our website !