A vida não pára

By sábado, outubro 01, 2011 ,




De cada vez que uma relação acaba choramos inconformados, como se nos roubassem uma parte de nós e como se a dor que sentimos fosse impossível de deixar de doer. Aquele aperto no peito, de que todos falam existe mesmo! Vem na angústia de sentirmos os sonhos a cairem por terra, e por percebermos que não vamos ter mais aquilo que tanto quisémos ter. Vem com a culpa e com o sentimento de que podíamos ter agido diferente e feito mais. As memórias aqui começam logo a actuar, esquecemos facilmente as coisas más e as coisas maravilhosas vêm à tona, desesperadas por nos desesperar. E aqui quase colapsamos. Aqui perdemos por vezes a noção do certo e do incerto e arriscamos pensar que vamos enlouquecer. Mas não. Respiramos fundo, uma duas vezes, mil, e embora a dor se mantenha por lá, o vazio e a sensação de perda, nós continuamos ali, a ter que ser quem somos para os outros e para nós. A vida não pára. E depois desse trambolhão não temos outro remédio senão chorar já de pé, e de preferência em silêncio. O nosso mundo está ligado a mil e um outros mundos que não se desligam só porque o nosso parece estar a cair em pedaços. Esses mundos continuam activos e nós apenas temos de continuar a activar-nos neles. “Afinal, a vida continua. Não existe nenhuma regra cósmica que nos conceda imunidade nos detalhes só porque nos deparámos com uma catástrofe. Os caixotes do lixo ainda transbordam, as contas ainda aparecem no correio, ...” (p.85, Jodi Picoult, Tudo por amor) “ Afinal conseguimos permancer funcionais enquanto o nosso coração está ser desfeito em bocados. O sangue circula, o ar flui, os neurónios disparam” (p.166)

You Might Also Like

11 comentários

  1. A musica de João Pedro Pais e Mafalda Veiga assim o diz "O tempo acelera e pede pressa". É inevitável não doer,haverá dias em doí mais,outro um pouquinho menos, num outro dia vem uma avalanche de saudades.. Só nos lembramos das momentos bons, porque o "mau" esta a ser vivido. e mesmo quando nos lembramos desses parecem insignificantes..
    E é difícil a dor que sentimos não nos fazer um pouco mais frias, desconfiadas,não nos "damos" com tanta entrega, já não se sonha tanto,apesar de estes estarem numa caixinha como a de Pandora à espera,inconscientemente, que seja aberta..

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Mia, encontro outras histórias sobre as entre-linhas de seu belo texto. Digo a ti que temos que descobrir maneiras — sejam quais forem — de ficarmos fortes. "Hoje é dia de nascer de novo."
    Beijinhos :*

    ResponderEliminar
  3. Não pára mesmo... Por mais que doa temos de ter a força de não cair apenas nas boas memorias, temos de ser racionais, erguer o pescoço, pôr-nos de pé e seguir em frente! A vida continua...

    ResponderEliminar
  4. Oh Karina, gostei tanto do que escreveste... "O mau está a ser vivido" é isso mesmo e por isso é fácil apagá-lo das memórias. Obrigada pelo teu comentário e foi giro como ligaste o título à música, porque era mesmo nela que estava a pensar quando escrevi o post... Bom fim-de-semana!

    Priscilla, obrigada pelo teu carinho! Eu sei que vamos descobrir maneiras.. Olha eu hoje vim refugiar-me na quinta de uma amiga, com muito sol, piscina e ainda fomos dar um passeio de bicicleta ao fim da tarde.. Foi maravilhoso! E amanhã ainda vou acordar com mais energia! Beijinhos

    Olá SM, a vida não pára e por isso mesmo se nos mantivermos fiéis a nós mesmas conseguimos dar a volta. Como diz a minha mãe "o que é nosso a nós volta" e se não tiver que ser, então é porque virá muito melhor.. Beijinhos!

    Aproveitem o resto do fim-de-semana!

    Mia,

    ResponderEliminar
  5. Eu adoro essa musica, diz-me muito,apesar que agora aprendi a ouvi-la e a "vê-la com outros olhos" a aprender a saboreá-la como uma musica "normal".
    Achas que é "o mau que esta a ser vivido" é fácil de ser apagado? Eu não acho..
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. lá esta, quando estamos apaixonados por alguém ou gostamos de alguém esquecemo-nos que o mundo tem tantos outros rapazes ou raparigas. o importante é o nosso amor propria e a força para seguir em frente!
    beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Bom dia Karina, não. o mau que está a ser vivido apaga muitas vezes o mau que a nossa relação podia ter sido, e mostra apenas coisas boas, deturpando a realidade. Não é fácil, mas temos que tentar resistir contra as memórias e olhar em frente.. beijinhos

    Bom dia Marta, como diz a vanessa da mata na sua música "Boa sorte" há por aí muitas pessoas especiais...E o nosso amor próprio, como bem dizes, tem que vir bem cá para cima. Isso é o mais importante. beijinhos


    Obrigada meninas...

    ResponderEliminar
  8. Mas essas memórias também são importantes,e é bom serem lembradas, por mais "invejosa" que sejamos é sempre um animo para nós, é sinal que vivemos, que lutamos, que amamos,que sonhamos e isso é tão raro nos tempos que correm Mia.. Temos que lembra-las com carinho e,de certa forma, com saudades..

    ResponderEliminar
  9. Tens toda a razão Karina, mas enquanto as coisas estão frescas não conseguimos ter a lucidez necessária para as memórias saudáveis... Tudo o que escreves é mais do que certo, apagar essas memórias seria sinal de eliminar grandes momentos da nossa vida e isso não pode acontecer.

    ResponderEliminar
  10. Mia, custa agora. Doí muito. Mas,há que acreditar que "ele" anda ai qual diabo viajante a procura da sua Donzela!

    Beijinho

    ResponderEliminar
  11. Pode ser que sim... Obrigada pelo teu apoio Karina. Vê-se que infelizmente sabes deste assunto. Bom resto de fim-de-semana! Beijinhos

    ResponderEliminar

Welcome to our website !