Para ti, sem comparações

By quinta-feira, setembro 22, 2011



Ultimamente andam a acontecer coisas às pessoas que gosto. Costuma dizer-se que um mal nunca vem só e às vezes os ditados fazem mesmo sentido, raios partam! O sentimento de que não podemos fazer nada apodera-se de nós e dói-nos. Olho-te nos olhos doces e enxaguados e choro também com a tua dor. Vejo o esforço que fazes para ser forte e componho-me também. Ponho-me na tua pele mas é impossível sentir-me sequer perto do que tu sentes. Da angústia e da mágoa que agora te envolve. Pouco posso fazer. Posso rezar, posso pedir que rezem e posso jurar estar ao teu lado. Mas isso no fim do dia pouco muda e as notícias por que tu anseias eu não tas posso dar. Estou ansiosa por ti. Mas não posso dizer que sequer percebo ou imagino. Sei que as infelicidades não são comparáveis, como Richard Zimler escreveu no seu livro “Meia Noite ou o Princípio do mundo”. Mas há dores, há sofrimentos e  há angústias que nem sequer se podem colocar em nenhum patamar semelhante. E que nem devemos procurar uma comparação. Gostava de te dizer tanta coisa, mas prefiro falar-te de trivialidades. Não sei o que te ajuda. Estou baralhada. O ano de 2011 tem trazido muitas infelicidades a pessoas que me são próximas e isso assusta-me. Assusta-me e mais nada tenho a dizer. É isso: Assusta-me e irrita-me.

You Might Also Like

2 comentários

  1. Pois...As palavras certas...quais são? Mas sabes, às vezes mais importante do que as palavras é a presença.
    Beijinhos e coragem

    ResponderEliminar
  2. Obrigada Sofia, tu andas sempre perto das palavras certas ;) Beijinhos

    ResponderEliminar

Welcome to our website !