Lugares imutáveis

By sexta-feira, agosto 19, 2011



O estar e o depois já não estar. A ausência que resta no vazio. Odeio ficar. Odeio deixar e odeio que se vão embora. As ruas são as mesmas, mas já não se ouvem as gargalhadas que ontem demos e que hoje apenas ecoam na minha cabeça. Caminho pelas ruas e vejo-nos sentados enquanto tocas guitarra, a rir de tudo, de todos e de nós. Ficam as ruas, as árvores e as casas e eu fico também, mas sinto-me a deambular sozinha porque sinto falta da tua companhia. Depois, apercebo-me lentamente que são as pessoas que dão cor aos sítios e isso chateia-me. Estar aqui devia bastar.

You Might Also Like

4 comentários

  1. Adorei o texto, muito bom!

    http://naominray.wordpress.com/
    @BlogInRay

    ResponderEliminar
  2. Caraças esta foto e este texto lembram-me o facto de ir embora hoje deste canto do país de que tanto gosto. O ano passado tirei fotos com uma luminosidade bem parecida a essa, como se pode ver pela minha foto de perfil! Também acho que são as pessoas que dão cor aos sítios, mas, neste caso, a mim este espaço tem o condão de me fazer sentir bem, mesmo que só.

    ResponderEliminar
  3. Olá Naomi! Obrigada ;) Beijinhos

    É mesmo uma sensação irritante Maria Blair, mas depois nos dias seguintes vamos construindo novas coisas e passa, pelo menos quase! :) Beijinhos

    Mary Jane, tens razão, este sítio também tem a particularidade de me fazer sentir bem sozinha, mas quando alguém me deixa cá fica sempre este vazio que escrevo no texto! Mesmo num lugar como este :) Beijinhos

    ResponderEliminar

Welcome to our website !