Alice in wonderland

By quarta-feira, agosto 24, 2011



Pelo título poderiam achar que ía escrever que gosto muito da história da Alice no País das Maravilhas, ou o quanto sou parecida com ela. Mas não. Cair em buracos até caio, porque o meu equilíbrio em saltos altos é duvidoso, mas hoje escolhi esta história porque ultimamente tenho parecido o Coelho Branco: sempre a saltitar, sempre atrasada, sempre a olhar para o relógio e, sobretudo, sempre sem tempo. Mas é mais do que falta de tempo. O Coelho Branco da história de Lewis Carroll, foi uma personagem escolhida para contrastar e, assim, enfatizar as características da personagem principal, a Alice. O coelho é medroso e parece estar sempre atrasado para tudo. Tem medo da Rainha, da Alice e das próprias situações em que se encontra.

Há alturas em que somos este coelho, agarrados ao relógio, sem tempo para ver bem as coisas boas que temos e atados ao medo de arriscar. Com medo da própria sombra, como se diz. Somos muitas vezes o coelho, sim! Porque esse medo aliado à pressa impede-nos de chegar aos sítios que precisamos e acaba por nos tornar cobardes e pouco lúcidos para discernir sobre o que nos apetece e sobre o que devemos fazer. A pressa em que estamos imersos faz-nos estar, tal como o coelho, sempre de passagem, impedindo-nos de saborear os momentos. Agarrámo-nos à lógica do Carpe Diem, que fica tão bem tatuada por aí, ou escrita como frase inspiradora, que acabamos por nem viver bem as horas, agarrados à contagem decrescente e aflitiva de um relógio de pulso.

You Might Also Like

6 comentários

  1. infelizmente, tens toda a razão do mundo. se cumprir horários é uma responsabilidade, também é verdade que, por vezes, ficamos demasiado presos a rotinas estúpidas, com as quais não conseguimos arranjar tempo para as melhores coisas da vida. as mais simples e pequeninas.

    ResponderEliminar
  2. our life, those days, are dressed by the idea of keeping running... :D

    ResponderEliminar
  3. Gostei muito do que escreves-te, tens toda a razão. Muitos de nós agarram-se a clichés, alguns marcam a pele com ele outros apenas os dizem, mas na maioria tornam-se livros em prateleiras, esquecidos e a ganhar pó enquanto a rotina do dia-a-dia nos preenche a cabeça. By the way, relógios de pulso? Desnecessários.

    http://omonstrodascookies.blogspot.com

    ResponderEliminar
  4. Olá Kikas! Não podias ter sintetizado melhor :)

    True Gio! Run, run as fast as you can!

    Olá Monstro das cookies! Bem-vinda ao blogue! Eu por acaso também não uso relógio de pulso mas vivo presa aos horários do telemóvel! E uso um ao pescoço (daqueles do mercado de Portobello.) Podes ver aqui: http://4.bp.blogspot.com/_lvcTmSQhyjw/TOHA7pBXkuI/AAAAAAAAATs/s8Zr-0uX1Is/s1600/005edit.jpg



    Beijinhos ;)

    ResponderEliminar
  5. Eno Teodoro:
    "Antes de os relógios existirem, todos tinham tempo.
    Hoje, todos têm relógios."

    (aquele que já um dia te fez cair num buraco...)

    ResponderEliminar
  6. Adorei a frase, pessoa causadora de uma das minhas maiores quedas!:)

    Beijinhos

    ResponderEliminar

Welcome to our website !