Mar Adentro

By terça-feira, julho 26, 2011



Há poucas regras quando falamos de seres humanos. Cada pessoa reage às mudanças na vida à sua maneira, mas importa nunca esquecer a liberdade enquanto característica máxima do ser humano. O filme Mar Adentro, polémico e simultaneamente verídico, sobre a eutanásia, traz-nos esta procura de alguém que tenta a todo o custo ter essa liberdade, mesmo nas suas limitações. De alguém que, não se contenta com algo imposto porque sabe e reconhece, de acordo com as suas crenças que para si há uma dimensão diferente para atingir. E, no filme, há um momento em que se ouve música clássica ao som da respiração profunda do actor, onde nitidamente ele se liberta, voando para onde as suas incapacidades o impedem de ir. Porque ninguém pode censurar a nossa imaginação. Falar de liberdade em contexto de mudança é dizer que, felizmente, as decisões que tomamos não nos encerram, não nos limitam e não nos tornam numa só coisa.

"Mar adentro, mar adentro,
y en la ingravidez del fondo
donde se cumplen los sueños,
se juntan dos voluntades
para cumplir un deseo.

Un beso enciende la vida
con un relámpago y un trueno,
y en una metamorfosis
mi cuerpo no es ya mi cuerpo;
es como penetrar al centro del universo:

El abrazo más pueril,
y el más puro de los besos,
hasta vernos reducidos
en un único deseo:

Tu mirada y mi mirada
como un eco repitiendo, sin palabras:
más adentro, más adentro,
hasta el más allá del todo
por la sangre y por los huesos.

Pero me despierto siempre
y siempre quiero estar muerto
para seguir con mi boca
enredada en tus cabellos."

(Poema de Rámon Sampedro)


You Might Also Like

6 comentários

  1. adorei o que escreveste mia. é mesmo verdade..."felizmente, as decisões que tomamos não nos encerram, não nos limitam e não nos tornam numa só coisa" melhor não diria..!!! *

    ResponderEliminar
  2. Olá Amberhella! Ainda bem que gostaste! Beijinhos :)

    ResponderEliminar
  3. Olá Icas! Quando tiveres um tempinho vê o filme! Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Eu tb achei. É duro e cruel, mas ao mesmo tempo belo e delicado. Já o vi há bastante tempo, mas foi daqueles que não se perdeu nos dias. Prova disso foi este post ;) Beijinhos

    ResponderEliminar

Welcome to our website !