Bate, bate (pouco) levemente

By terça-feira, junho 21, 2011 , , ,




É tudo muito engraçado nas relações à distância, é tudo como alguns dizem: “uma constante lua-de-mel” até virem os exames e o mundo contruído paralelamente. Até começar o “Está tudo bem. Estou óptimo. Não se passa nada.”, e os horários trocados, e as vidas lado a lado. Acredito que funcione para os que não se importam, para os menos sensíveis. Mas quem me mandou ser tão exigente com o amor como sou com tudo? Não devia perceber que ele gosta de ter fases e ritmos diferentes dos meus. O amor. Sim,  devia perceber que ele gosta de tumultos e de dificuldades. Devia ter um coração menos “batedor” e menos “irritadiço”. Mas como diria Saramago: “Se tens um coração de ferro, bom proveito. O meu fizeram-no de carne, e sangra todo o dia.” 

You Might Also Like

2 comentários

  1. Como te percebo!
    Isto de relações à distância tem que se lhe diga!
    Só te digo o que penso, força=)

    ResponderEliminar
  2. Ainda bem que percebes :) Obrigada Catita!

    ResponderEliminar

Welcome to our website !