O todo ou as partes?

By quinta-feira, maio 19, 2011 ,

O despertador hoje tocou 10 minutos mais cedo. Logo hoje, que estava na posição perfeita, num sono profundo, com a minha gata a embalar-me no seu ronronar… Lá me enchi de forças e tive uma ideia: Se fizer tudo em metade do tempo, ainda posso dormir mais quinze minutos. Foi o que fiz. Meti-me na cama, vestida e tudo! Raio da gata que lá continuava a ronronar, com o seu ar repousado e de quem não tem um único dilema e preocupação sobre o seu pêlo impecavelmente branco.

Quinze minutos volvidos, acabei por ter de fazer o mesmo esforço. Não sei porque insisto em ficar só mais quinze, só mais cinco, só mais dez, quando chego sempre à conclusão de que custa sempre tanto como acordar de novo, e que não são aqueles pequenos acumulados de minutos que me vão tirar o sono. Ou seja, custa menos se me levantar apenas uma vez, em vez de fazer o mesmo esforço várias vezes. É mais ou menos como quando entramos na água fria do mar ou da piscina: custa mais se for aos bocadinhos (embora eu tantas vezes também opte por esse método) do que se dermos um mergulho, onde sentimos o frio todo de uma só vez, por todo o corpo.

Estas teorias matinais vão terminar já que hoje à tarde chega o meu namorado e tenho que concentrar a minha imaginação periclitante em planos e surpresas, ou em coisas saudáveis e dinâmicas. Já tenho umas ideias mas lá está: a arte do segredo está na sua palavra! Assim o meu fim-de-semana vai chegar muito mais rápido, mesmo que amanhã trabalhe. O único problema é que também vai passar mais depressa, mas não soframos por antecipação: A segunda-feira vai encarregar-se disso por inteiro.

You Might Also Like

2 comentários

  1. Eu cá levanto-me assim que o despertador toca, ao menos sofre-se duma vez :P

    ResponderEliminar

Welcome to our website !