Far, Far

By domingo, abril 03, 2011 ,




Sempre gostei de coisas difíceis, mas a dado momento julguei ter um karma qualquer que ditasse um destino problemático.

A verdade é que sempre gostei de complicar, e que da única vez que estive numa relação “normal” acabámos, porque passava a vida a implicar com ele. A criar problemas. Foi o meu primeiro namorado. Agora que me lembro até tenho pena dele.

 Às vezes penso que o meu feitio é daqueles que procura problemas, porque gosta de os ver resolver. Seja o que for, alguma patologia desse género eu devo ter.

Achei que depois disto estava a ser castigada, que lá em cima se riam e diziam “Procuras problemas? Uma vida calma e tranquila não te chega? Então espera um bocadinho que já vais ver…”

Primeiro tive um caso com um rapaz que depois de seis meses comigo foi viver para a Dinamarca. Também poucas lágrimas derramei pois confesso que, com a quantidade de problemas que ele me criou, nem soube ter tempo para gostar dele. 

Depois veio outro, que estava no Brasil, e que quando voltou resolveu ir para África. Aqui sim, comecei a mandar vir com a minha sorte e achar que alguma das minhas inimigas me tinha feito voodoo.

Agora apareceste tu, do Porto, e começámos a namorar enquanto vivias em Madrid. Seguiu-se a tua ida de um mês ao Peru. (Não, ainda não é hoje que vou escrever a nossa história!) Mas no meio de tantas complicações fizeste-me ver além da distância. Mesmo sendo horrível despedir-me constantemente de ti:

Logo eu, que sou tão sensível que fico sempre com lágrimas nos olhos! Há uma parte de mim que sorri e a outra contrai-se, e, como se de qualquer mecanismo estranho se tratasse lá vêm elas a correr pela minha face. (Mas felizmente ainda não viste, ao menos já consegui domá-las para ser só depois de te deixar).

A perspectiva de te ter de volta faz-me ganhar forças, confiar e amar-te na longitude. Gosto de nos imaginar como as histórias dos nossos avós. Gosto de pensar que apesar das desvantagens, talvez assim, de cada vez que nos voltemos a ver, tenhamos que fazer um esforço para nos reconquistar e para nos apaixonarmos de volta. 

Seja como for, não é por acaso que tanto mal se diz das relações à distância, porque não são mesmo nada fáceis.






Far far, there's this little girl
She was praying for something to happen to her
Everyday she writes words and more words
Just to speak out the thoughts that keep floating inside
And she's strong when the dreams come cos' they
Take her, cover her, they are all over
The reality looks far now, but don't go

You Might Also Like

2 comentários

  1. Querida, estou agora a ler o teu blogue e estou a adorar! Este teu post até me fez chorar.

    Um grande beijinho,

    C*

    ResponderEliminar
  2. Que bom querida! Logo já sabes que estamos combinadas às 21h! beijinho grande

    Mia

    ResponderEliminar

Welcome to our website !