Tu tens um medo

By terça-feira, março 29, 2011



Reparei que os nossos medos nos vão tirando bocadinhos. A mim retiram-me quilos, também! Claro que isto não se faz “click” e fica tudo bem. No entanto, decidi ser racional e perceber que estou a perder tempo. O meu pai hoje ligou-me a dizer que estou por minha conta, que ninguém me vai conseguir ajudar senão eu mesma. Eu sei disso tudo. E normalmente tenho esses pensamentos aqui guardados algures, até que alguém me abane e eles acabem por despertar. Quando era mais nova passei por uma fase assim. Aconteceu muita coisa e simplesmente não soube lidar com tudo. Perdi quilos e tinha os meus amigos de volta de mim a obrigarem-me a comer uma bolacha Maria, bastava uma! E passou. Por mim, com eles, mas passou. Hoje tenho os mesmos amigos. Podemos juntar mais um ou dois, mas o núcleo duro mantém-se. E um deles, disse-me: “Sabes, Mia, por muitas voltas que o mundo dê, nós vamos ser sempre os mesmos e o mundo vai ser sempre igual. A única diferença está na forma como o perspectivamos. Há coisas que uns dias nos magoam e que no outro nos fazem rir.” E na verdade é isso que acontece. Há coisas que acabam, mas o essencial fica por cá, quanto mais não seja guardado em flashes que nunca vamos esquecer. Foi preciso uma bela reflexão para me sentir relaxada como estou agora, e umas quantas insónias. Pouco mais importa neste momento. Importante é que me sinto a virar a página dos medos e anseios. Cecília Meireles escreveu um poema admirável sobre isso:


Tu Tens um Medo
Acabar.
Não vês que acabas todo o dia.
Que morres no amor.
Na tristeza.
Na dúvida.
No desejo.
Que te renovas todo dia.
No amor.
Na tristeza
Na dúvida.
No desejo.


No desejo.
Que és sempre outro.
Que és sempre o mesmo.
Que morrerás por idades imensas.
Até não teres medo de morrer.
E então serás eterno.

You Might Also Like

4 comentários

  1. Não conhecia o poema, e devo confessar que gostei imenso. Talvez porque de certa forma me reveja nele, em certa altura da vida. No fundo o teu amigo tem razão quando diz "(...)or muitas voltas que o mundo dê, nós vamos ser sempre os mesmos e o mundo vai ser sempre igual. A única diferença está na forma como o perspectivamos. Há coisas que uns dias nos magoam e que no outro nos fazem rir.” Um beijinho grande e parabéns, pelo teu blog que sou uma seguidora assídua :)*

    ResponderEliminar
  2. O poema é muito inspirador... A mim faz-me sempre pensar e, tal como tu, também me revejo nele. Muito obrigada pelos teus comentários. As vossas opiniões é que fazem este blogue. Fico muito contente. Um grande beijinho e obrigada.

    Mia

    ResponderEliminar
  3. Há algo de real e sentido ao ler as palavras da escritora. E confesso que gosto do teu blog porque é uma delícia lê-lo :)

    ResponderEliminar
  4. De real podes crer que há Icas! Obrigada, beijinhos

    Mia

    ResponderEliminar

Welcome to our website !